segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Artistas plásticos brasileiros

Aldemir Martins

Biografia

"Aldemir Martins (Ingazeiras CE 1922 - São Paulo SP 2006). Pintor, gravador, desenhista, ilustrador. Em 1941, participa da criação do Centro Cultural de Belas Artes, em Fortaleza, com Antonio Bandeira, Raimundo Cela, Inimá de Paula e Mário Baratta, um espaço para exposições permanentes e cursos de arte. Três anos depois, a instituição passa a chamar-se Sociedade Cearense de Artes Plásticas - SCAP. Aldemir Martins produz desenhos, xilogravuras, aquarelas e pinturas. Atua também como ilustrador na imprensa cearense. Em 1945, viaja para o Rio de Janeiro, e, menos de um ano depois, muda-se para São Paulo, onde realiza sua primeira individual e retoma a carreira de ilustrador. Entre 1949 e 1951, freqüenta os cursos do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp e torna-se monitor da instituição. Estuda história da arte com Pietro Maria Bardi e gravura com Poty Lazzarotto. Em 1959, recebe o prêmio de viagem ao exterior do Salão Nacional de Arte Moderna e permanece por dois anos na Itália. Desde o início da carreira sua produção é figurativa, e o artista emprega um repertório formal constantemente retomado: aves, sobretudo os galos; cangaceiros, inspirados nas figuras de cerâmica popular; gatos, realizados com linhas sinuosas; e ainda flores e frutas. Nas pinturas emprega cores intensas e contrastantes."

http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=artistas_biografia&cd_verbete=545&cd_idioma=28555


Mostra da sua obra

“Gato azul com vaso de flores”

Acrílico sobre tela

40 x 40 cm

“Família de gatos” (2003)

Acrílico sobre tela

60 x 80 cm


Galo”(1956)

Técnica mista - nanquim e anilina

72 x 54 cm

“Rendeira” (1988)

Gravura, 84/100 -

33 x 23 cm


Link: http://www.itaucultural.org.br/aldemirmartins/index.htm

domingo, 30 de agosto de 2009

Interessante extracto de carta de Van Gogh (1853-1890) ao seu irmão Theo

Leia com atenção. Não se afaste pelo facto de o texto parecer compacto e maçudo. Para mim é apaixonante.

“Não sei se alguém já falou à minha frente da cor sugestiva. Dar-te-ei um exemplo: eu vou fazer um retrato de um amigo, um artista, um sonhador. – Este homem será louro e eu desejo reproduzir no quadro toda a minha admiração, todo o amor que tenho por ele. Começarei portanto por pintá-lo como ele é. Tão fiel quanto possível. Mas o quadro não fica pronto ainda. Para o acabar, vou tornar-me num colorista arbitrário: exagero o louro dos cabelos e chego aos tons laranja, ao amarelo-cromo, à cor de limão clara. Por detrás da cabeça pinto, em vez da habitual parede de um quarto vulgar, o infinito. Faço um fundo do azul mais forte de que sou capaz e assim, a cabeça loura e luminosa sobre o plano de fundo, recebe da riqueza do azul um efeito místico, como uma estrela no azul profundo do céu.

E agora analise em paralelo a figura e o texto que se seguem:

O café à noite na Place Lamartine

Vincent Van Gogh, 1888

Óleo sobre tela (70 x 89 cm)

Tenho dois novos modelos, uma mulher de Arles e um velho camponês. Desta vez pinto-os sobre um fundo de laranja vivo. Embora eu não queira simular um pôr do Sol, o resultado é, no entanto, a sugestão de uma sensação do mesmo. O amor entre os dois seres deve exprimir-se pela conjugação de duas cores complementares, pela sua mistura, pela sua complementaridade e pela misteriosa vibração de tons afins. Tentei [no quadro “Café à noite”] com o vermelho e com o verde exprimir a terrível paixão dos homens. – É uma cor que não é literalmente verdadeira, do ponto de vista do realismo, é uma ilusão óptica, mas é uma cor sugestiva que exprime a emoção de um sentimento ardente. Tentei exprimir que o café é um local onde uma pessoa fica enlouquecida e pode tornar-se criminosa. Tentei isso pelo contraste do rosa-suave com vermelho-rútilo e um vermelho escuro cor de vinho; por um verde suave e um verde- Venorese, que contrastam com um verde-amarelo e um severo verde-cinzento. Tudo isso exprime a atmosfera de um mundo subterrâneo incandescente, um pálido sofrimento, a escuridão que domina por sobre tudo aquilo que dorme”

HESS, Walter, Documentos para a compreensão da pintura moderna, Lisboa, Edições “Livros do Brasil”, 2001, pág 52-53.


Ainda a propósito de livros

O livro que hoje apresento foi adquirido em Junho, em Paris, meramente ao acaso. Uma pequena loja que vendia revistas, livros e jornais, em pleno Quartier Latin. Achei o preço apelativo: 10€. Posteriormente vim a apreciar o seu conteúdo.

Ficha técnica:

Aborda desenhos de nus, para treinar e melhorar a sua técnica. Apresenta explicações breves e fáceis de entender, com muitos exercícios e valiosos apontamentos e truques.

A seguir apresento tanto o índice do livro como parte de uma página.



Uma das suas páginas introdutórias é a seguinte:

Tenha um bom dia

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A propósito de livros de aguarela...

Para mim o “encantador conto de fadas” que é o domínio da aguarela leva-me a adquirir sistematicamente livros sobre esta técnica.

A fase dos livros para principiantes já está ultrapassada. Aprecio aguarela requintada e perco-me a olhar para trabalhos. Nunca dou por mal empregue o dinheiro que invisto nessas compras. O amor tem destas coisas...

Há quem seja compulsivo a comprar roupas. A minha mania é adquirir livros e revistas sobre pintura. Principalmente sobre aguarela.

O livro que hoje apresento foi comprado em Junho de 2009, quando estive em Paris. Ei-lo:

No site www.amazon.fr descobri um vídeo que indica fases sequenciais de trabalhos que são desenvolvidos no livro. E curioso... o autor aplica aguarela com esponjas. Trata-se ainda da técnica do “pouring” (espero descobrir o seu nome em português). Em francês o autor fala em glacis e este termo, aplicado à pintura, é do meu conhecimento: significa camada.

Conceito de glacis para o autor: é uma fina camada de cor que se aplica sobre uma outra cor anteriormente depositada e já seca com o objectivo de criar uma coloração diferente daquela que poderíamos obter através da simples mistura de cores numa paleta.

Livro referido, edição de 2008, pág.48

O autor exemplifica um pouco da técnica que aplica no livro em imagens que constam do DVD que acompanha alguns dos livros (não é o caso do meu).

O link é o seguinte:

http://www.amazon.fr/Aquarelle-voie-leau-Jean-Claude-Chaillou/dp/2215091673/ref=sr_1_1?ie=UTF8&s=books&qid=1251446461&sr=8-1

Tenha um bom dia.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

... e já é altura de regressar!

Após um período de interregno é bom regressar. O ritmo é lento, é certo. As palavras parece que não fluem o que permite constatar a necessidade de recomeçar a escrever.

Gostaria de partilhar algumas aquisições feitas ao nível de livros de aguarela. Hoje divulgo um da autoria de Nita Engle e que exemplifica técnicas experimentais para a obtenção de efeitos realistas na pintura.

Uma das técnicas experimentais referida no livro baseia-se no processo do “pouring” (não sei a correspondente palavra em português) e na utilização simultânea de goma líquida.

A técnica do “pouring” consiste numa nova maneira de sobrepor camadas de tinta para conseguir subtis variações de cor numa dada área da pintura. Isto sem utilização de pincéis. Simplesmente vertendo tinta através de um recipiente. Obviamente que esta definição é muito simplista e elimina várias etapas da produção de uma obra, mas é uma forma diferente de pensar a pintura. Não é maravilhoso e surpreendente o efeito conseguido? Que luminosidade! Que efeitos magníficos!

Já agora vai uma informação: se quiser abrir e observar algumas páginas do livro faça o seguinte:

  1. ao site www.amazon.com;
  2. No topo, à direita escreva o nome do livro e do seu autor (a figura acima indica ambos);
  3. Clique na imagem do livro para obter a sua ampliação;
  4. Volte a clicar sobre a imagem do livro que aparece (não precisa preencher o campo que surge);
  5. Agora é só clicar na seta à direita e já está dentro de algumas páginas do livro.

Se quiser observar o interior de outro livro com a mesma técnica, repita o processo, digitalizando no passo 2:

Roland Roycraft Fill your watercolor with light and color.

Esperto que consiga resultados.

Um bom regresso a este novo “pós férias” com tudo de bom a que todos temos direito.